ClicaVerdade

Museus paulistanos têm acesso livre ou um dia de gratuidade por semana


A cidade de São Paulo, mais importante centro econômico do Brasil, é também conhecida pelos inúmeros atrativos culturais, de lazer e entretenimento. São 101 museus, 282 salas de cinema, 146 bibliotecas, 182 teatros e cerca de 40 centros culturais, segundo dados da prefeitura.

No caso dos museus, muitos têm entrada franca nos dias que estão abertos à visitação e, em outros, há sempre um dia reservado à gratuidade.

Entre os museus com acesso sempre gratuito, estão a Casa das Rosas, a Casa Guilherme de Almeida, o Memorial da América Latina, o Memorial da Resistência, o Paço das Artes e a Casa Mário de Andrade.

O sábado é o dia em que o público tem entrada franca na Pinacoteca, no Museu da Imigração, no Museu de Arte Sacra e no Museu da Língua Portuguesa. Quarta-feira é dia de entrar de graça no Museu Afro Brasil. Já o Museu da Imagem e do Som tem mais dias de acesso liberado, mas em horários específicos: de terça-feira a sexta-feira, às 10h, às 10h30, às 11h e às 11h30.

Os interessados em visitar os museus devem consultar as regras sanitárias adotadas em cada instituição por causa da pandemia de covid-19 e saber se há necessidade de agendamento.

Atrações

Reinauguração do Museu da Língua Portuguesa, reconstruído após incêndio de 2015, na Praça da Luz.

O  Museu  da  Língua  Portuguesa,  que  estreou  nova  exposição  nesta  sexta-feira  –  Rovena  Rosa/Agência  Brasil

O Museu da Língua Portuguesa, instalado na histórica Estação da Luz, estreou nova exposição nesta sexta-feira (12). Sonhei em Português! é o nome da atração, que busca discutir a migração no século 21 como direito humano e a participação da língua nesse processo.

Além da nova instalação, o museu, reinaugurado em julho deste ano após um incêndio, tem, entre as intervenções após a reforma, um terraço com vista para o Jardim da Luz e para a torre do relógio, símbolo da estação. Também foi criado um centro de referência de estudos da língua portuguesa, para receber fóruns e permitir a aproximação de pesquisadores.

Passear pelo Memorial da América Latina, na Barra Funda, é outra experiência interessante, em que o visitante pode apreciar as linhas características do trabalho do arquiteto Oscar Niemeyer, que projetou o espaço. Obras de artistas consagrados estão expostas ao longo da esplanada e dentro dos espaços culturais. De acordo com a instituição, o próprio Niemeyer indicou em que locais deveriam ser expostos os trabalhos.

No Museu Afro Brasil, que fica no Parque Ibirapuera, o público vai encontrar 11 mil metros quadrados com um acervo de mais de 6 mil obras de arte. São pinturas, esculturas, gravuras, fotografias, documentos e peças etnológicas, de autores brasileiros e estrangeiros, produzidos entre o século 18 e os dias de hoje, conforme divulgação do museu. As peças apresentam aspectos culturais africanos e afro-brasileiros.



Agência EBC

ClicaVerdade