Em meio à efervescência de ideias, à expectativa de matchs entre empreendedores e investidores das mais diversas partes do mundo, uma característica se sobressai no ambiente criado no Cais Mauá, na capital, onde ocorre o South Summit Brazil desde esta quarta-feira (4/5). Em torno do propósito, nascem e se criam startups, das mentes e mãos de pessoas disruptivas que buscam se destacar para chamar a atenção dos donos dos recursos e, assim, alcançar o sonho de tornar os seus negócios escaláveis.

“Minha visão do propósito é tudo. Propósito é a razão de ser”, afirmou Thomas Gautier, CEO do Freto, um dos principais marketplaces de negociação de cargas no país. Criado em 2018, o Freto surgiu dentro do grupo Ticket da necessidade de buscar uma solução para conectar caminhoneiros com embarcadores, criando uma tecnologia do zero, com o propósito de simplificar a logística. Cresceu, se tornou empresa independente do grupo, com acionistas diversificados e, em julho de 2021, recebeu um aporte de R$ 22,5 milhões em uma rodada de investimentos. “Tudo que a gente faz está ao redor da nossa razão de ser e do nosso propósito: simplificar a logística rodoviária movendo caminhoneiros”, acrescentou.

Verônica Lima, diretora da Comece com o pé direito, que auxilia empreendedores na abertura de seus negócios, com assessoria contábil e fiscal, também destacou a importância de estar atento a todo o ecossistema. “A gente vai poder conferir aqui vários exemplos de outras empresas e startups tentando buscar o brilho no olhar dos investidores para poder ter um aporte, uma captação para que seu negócio de fato dê certo”, disse.

O South Summit se realiza até sexta-feira (6/5) com a missão de conectar startups, empresas e fundos de investimento globais. São mais de 500 palestrantes em cinco palcos simultâneos, competição de projetos e muita troca de informação entre os participantes. Palestrantes nacionais e internacionais trouxeram, neste primeiro dia, temas como sustentabilidade, investimentos, empreendedorismo e inteligência artificial.

No pavilhão Marketplace, estandes de serviços e exposições oferecem experiências e produtos. Ao longo da programação, startups apresentam suas propostas e buscam investidores. Foram 1 mil projetos inscritos e ficaram 50 finalistas. Desses, 17 são gaúchos, confirmando a capacidade da rede de inovação do Estado.

Texto: apuração de Giovanni Disegna e Camila Martins
Edição: Secom



Governo do Estado do RS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.