Em cerimônia na Divisão de Suprimentos da Secretaria da Saúde, em Porto Alegre, o governo do Estado entregou 103 câmaras de conservação refrigeradas. Os equipamentos servem para a conservação de medicamentos e de imunizantes.

A secretária da Saúde, Arita Bergmann, destacou que o Estado conseguiu economizar com a compra das câmaras, adquiridas por um preço mais baixo do que o cobrado inicialmente no mercado.

Dos equipamentos entregues nesta sexta-feira (25/3), 53 foram adquiridos com recursos do Tesouro do Estado, de R$ 573,1 mil, e serão usados na substituição ou ampliação da rede de câmaras de conservação das Coordenadorias Regionais de Saúde (CRS), além da Farmácia de Medicamentos Especiais de Porto Alegre, atualmente em gestão compartilhada entre Estado e município.



51960798759 2b3dbdd4eb k

Dos equipamentos, 53 foram adquiridos com recursos do Tesouro do Estado e 50 com valores enviados pelo Ministério da Saúde
Foto: Itamar Aguiar / Palácio Piratini

“Vão ser importantes para a conservação de medicamentos termolábeis, que não podem sofrer grandes variações de temperatura, como a insulina”, explicou o diretor do Departamento de Assistência Farmacêutica (Deaf) da Secretaria da Saúde, Roberto Schneiders. Segundo ele, foram distribuídos 5 milhões de medicamentos termolábeis no ano passado à população.

Outros 50 freezers serão integrados à rede de frio estadual em 19 municípios, todos com população acima de 100 mil habitantes. Com um custo total de R$ 879,9 mil, os refrigeradores e 50 kits de computadores, também distribuídos aos municípios, foram comprados pelo Centro Estadual de Vigilância em Saúde (Cevs) com recursos repassados pelo Ministério da Saúde.

“No ano passado, o Estado recebeu do governo federal R$ 1 bilhão em vacinas. As câmaras são fundamentais para garantir a qualidade e a potência destes imunizantes”, disse a chefe da Divisão Epidemiológica do Cevs, Tani Ranieri, lembrando que os equipamentos darão apoio às campanhas de vacinação contra o influenza e o sarampo, além da Covid-19.

o presidente do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde do Rio Grande do Sul (Cosems-RS), Maicon Lemos, lembrou que quando a pandemia começou, em 2020, muitos municípios no Estado não tinham sequer uma câmara fria. “Foram todos contemplados”, acrescentou. “O Rio Grande do Sul é um Estado que se preocupa com o acondicionamento dos fármacos”.

Texto: Ascom SES
Edição: Secom



Governo do Estado do RS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.