O governador Eduardo Leite recebeu, no começo da tarde desta terça-feira (22/3), no Palácio Piratini, representantes das diretorias dos grupos chilenos CMPC e Neltume. O motivo da reunião foi falar sobre investimentos em infraestrutura no porto do Rio Grande, na cidade de Rio Grande.

O Grupo CMPC vem consolidando áreas de plantio e de industrialização de celulose no sul do Estado, com a fábrica em Guaíba. Em 2019, no início da gestão Leite, uma comitiva esteve no Chile com o objetivo de conhecer as atividades desenvolvidas e com isso apoiar a concretização de novos investimentos no RS.

“Tivemos um resultado excelente no ano passado. Nossos portos encerraram 2021 com um recorde de movimentação de cargas. E sabemos que parte desse sucesso tem a ver com a CMPC. Então, temos todo interesse em ouvir e estudar a melhor forma de garantir esse investimento”, disse o governador Leite.

Atualmente, a logística da celulose é responsável pela maior parte do tráfego de embarcações pela lagoa dos Patos. De Guaíba, as barcaças seguem até Rio Grande, onde descarregam o produto beneficiado. Essas mesmas embarcações também transportam, a partir do porto de Pelotas, as toras de madeira que são utilizadas na fabricação da celulose.

Em agosto do ano passado, a empresa anunciou o projeto BioCMPC com investimentos de R$ 2,7 bilhões que serão utilizados na modernização da unidade da empresa na região metropolitana. A empresa tem uma participação importante na geração de impostos e na abertura de postos de trabalho.

O BioCMPC promove melhorias na unidade industrial da CMPC, em Guaíba, até o final de 2023. Após concluídas as obras, a produção terá aumento de capacidade cerca de 350 mil toneladas por ano, exigindo maior potencial logístico e de armazenamento no porto do Rio Grande. Dessa forma, a CMPC tem interesse em aumentar a área já utilizada no porto.

No início de 2022, em conjunto com a Neltume Ports, a CMPC anunciou a formação de uma joint venture para operar um terminal exclusivo de celulose no porto do Rio Grande. Para a implantação, estão sendo estudadas áreas em São José do Norte, no próprio cais público rio-grandino ou no espaço onde funcionou o estaleiro QGI.

Após reuniões com o governo, foi ofertada uma manifestação privada de interesse pela Secretaria Extraordinária de Parcerias e a Secretaria de Planejamento, Governança e Gestão (SPGG), cujo trabalho deverá estar concluído em abril.

O encontro contou com a participação do vice-governador Ranolfo Vieira Júnior, do secretário-chefe da Casa Civil, Artur Lemos, dos secretários Claudio Gastal (Planejamento, Governança e Gestão) e Leonardo Busatto (Parcerias), do superintendente da Portos RS, Fernando Estima, e do prefeito de Rio Grande, Fábio Branco. Também estiveram presentes o presidente do Conselho das Empresas CMPC, Luis Felipe Gazitúa, o CEO das Empresas CMPC, Francisco Ruiz-Tagle, o presidente do Conselho do Grupo Ultramar, Richard Von Appen, o vice-presidente do Grupo Ultramar, Fernando Reveco, e o diretor-presidente da Sagres, Marcos Jacques Fonseca.

Texto: Ascom Portos RS e Suzy Scarton
Edição: Secom



Governo do Estado do RS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.